John Kennedy "ressuscita" para ler seu último discurso


A notícia passou desapercebida. Mas o ex-presidente dos EUA, John Kennedy, morto num atentado em 1963, realizou seu último discurso. Agora, em 2018.


Quando JFK levou os tiros em Dallas no dia 22 de novembro de 1963, trazia no bolso um discurso sobre a situação política na Ásia e a rivalidade com a União Soviética. Com seu assassinato, o discurso nunca foi lido.

Em março de 2018, por iniciativa do jornal britânico The Times, esse texto foi lido pelo próprio Kennedy através de recursos de inteligência artificial. Um computador "aprendeu" o jeito de JFK falar, analisando dezenas de registros de sua fala. Em seguida, "leu" o discurso com o timbre, o sotaque e a entonação do ex-presidente.

O resultado é ao mesmo tempo fascinante e assustador. Com a popularização dessa tecnologia de ponta poderemos um dia ouvir, digamos, nossa irmã falando com sua voz tão conhecida coisas que ela jamais disse. Ou algum famoso político capturado num "fake speech". Na minha opinião, essa tecnologia divulgada pelo Times é  mais um invento fabuloso que testa a capacidade dos humanos de estabelecer novos patamares éticos.

Para ouvir o discurso que John Kennedy não conseguiu proferir em 1963, clique aqui.


20 anos de história da tecnologia.
Amazon Brasil - http://goo.gl/MzssB8
Amazon.com - https://goo.gl/lvhJzE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Westworld e os direitos dos robôs

O Big Brother está de olho (no Brasil)